Fidelidade, firmes na fé

  FLAG SPAINFLAG RUSSIANFLAG USAFLAG FRANCEFLAG GREECEFLAG GERMANYFLAG KOREANFLAG JAPANFLAG ITALYFLAG ISRAELFLAG CHINAFLAG INDIA

1º TRIMESTRE 2017

AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO

Como o crente pode vencer a verdadeira batalha espiritual travada diariamente

COMENTARISTA: Osiel Gomes

LIÇÃO 09 – FIDELIDADE, FIRMES NA FÉ – (Hb 10.35-39)

 INTRODUÇÃO

Nessa lição veremos o significado bíblico de fé como fruto do Espírito, notaremos sua importância em contraste com a natureza pecaminosa, ainda destacaremos que a fidelidade deve ser demonstrada, como também lembrar do  principio da retribuição divina para os que são fiéis.

I – A FIDELIDADE E O SEU SIGNIFICADO 

  • Definição do termo. O Aurélio diz que fidelidade significa: “lealdade, perseverança. Observância rigorosa da verdade; exatidão” (FERREIRA, 2004, p. 894). Do hebraico “emunah”, que quer dizer: “firmeza, fidelidade, verdade, honestidade, obrigação oficial”, desses significados o sentido mais freqüente é “lealdade, fidelidade” (1Sm 26.23). No grego a palavra é “pistis”, que indica “persuasão firme”, sendo também usada com referência à confiança (Rm 3.25; 1Co 2.5; 15.14,17; 2Co 1.24; Gl 3.23; Fp 1.25; 2.17; 1Ts 3.2; 2Ts 1.3; 3.2); à fidedignidade, fidelidade, lealdade (Mt 23.23; Rm 3.3; Gl. 5.22; Tt 2.10) (VINE, 2002,  648). Em seu uso mais amplo, a palavra fé aponta ainda para alguns significados:

(a) A fé salvadora (Rm 5.1,2; 10.17; Ef 2.8); (b) A fé como conjunto de crença, ou seja, aquilo em que se acredita (At 6.7; 14.22; Rm 1.5; 1Co 16.13; Cl 1.23); (c) A fé como fidelidade (Lc 12.42; 1Co 4.2), o que subentende que o crente é fiel para com Deus e também para com o próximo. Essa é uma característica insuflada por Deus, pois aparece como uma das nove virtudes que, juntas, compõem o fruto do Espirito (Gl 5.22,23) (CHAMPLIN, 2007, p.696 – acréscimo nosso).

  • Como atributo Divino. Fidelidade é um dos atributos da Trindade, Deus Pai é fiel (Dt 7.9); o Senhor Jesus é  chamado de fiel e verdadeiro (Ap 19.11); e também o Espírito Santo é fiel (Gl 5.22) (GILBERTO, 2004, p.110). A fidelidade de Deus refere-se à Sua lealdade a si mesmo e a toda a Sua criação (Is 25.1; 1Co 1.9). Ele jamais mudará o Seu caráter (Sl 119.90; Is 11.5; Ml 3.6; 2Tm 2.13; Tg 1.17); nem deixará de cumprir o que prometeu (1Ts 5.24; Hb 10.23). A fidelidade de Deus é claramente demonstrada na Bíblia: (a) Na natureza (Gn 8.22; SI 119.90; Cl 1.17); (b) No cumprimento das suas promessas a Adão (compare Gn 3.15 com G1 4.4); a Abraão (compare Gn 15.4; 18.14 com 21.1,2);  a Moisés (compare Êx 3.21,22 com Êx 12.35,36); a Davi (compare 2Sm 7.12,13 com Lc 1.31-33); etc. (c) Em momentos de tentação (1Co 10.13); (d) Na maneira como disciplina Seus filhos (Sl 119.75; Hb 12.6); (e) No perdão dos nossos pecados (1Jo 1.9) (WILLMINGTON, 2015, 37).
  • Como fruto do Espírito. A palavra fé refere-se normalmente à confiança em alguém ou algo. No entanto, a palavra pode também referir-se ao que produz a confiança e a fé, a saber, a fidelidade e a confiabilidade. Ambos os significados estão no uso da palavra aqui como outra evidência da vida controlada pelo Espírito (TYNDALE, 2010, p.703). De acordo com Gilberto (2004, p.106), “Há quem prefira traduzir fé em vez de fidelidade como fruto do Espírito em Gálatas 5.22, mas, como veremos, a palavra fidelidade é mais precisa. Em seu sentido mais amplo, fé é nossa crença inabalável em Deus e no evangelho, e, portanto, é o tronco, não o fruto. O fruto do Espírito é dado como qualidade ou atributo; fidelidade é o atributo de quem tem fé”. Por essa razão a versão da Bíblia ARA (Almeida Revista e Atualizada), traduz “fé” por “fidelidade”. A fidelidade é a primeira das três características do fruto do Espírito que estão relacionadas ao seu portador, ou seja, consigo mesmo. “Quando a fé como virtude do fruto do Espírito habita no crente o que realmente marca sua vida é a fidelidade, ou seja, ele é uma pessoa confiável, leal” (GOMES, 2016, p.110). A fé, como fruto do Espírito, opera permanentemente na vida do salvo e é caracterizada pela firmeza de propósito, e por uma atitude e devoção de alguém que está disposto a ser “fiel até a morte” (Ap 10)

II – INFIDELIDADE OBRA DA VELHA NATUREZA

Podemos afirmar que a infidelidade é uma das obras da carne. Paulo na lista aos Gálatas, lembra: “[…] e coisas semelhantes a estas […]” (Gl 5.21); mostrando que as obras da carne não se limitam às que são mencionadas diretamente. Segundo Aurélio (2004, p.1102) Infidelidade é: “Qualidade ou caráter de infiel. Procedimento de infiel; deslealdade, traição, perfídia. O infiel é  aquele que não cumpre aquilo a que se obrigou ou se obriga, inexato, inverídico”.  Conforme anunciou o apóstolo Paulo, homens infiéis são uma das marcas dos últimos tempos (1Tm 3.1-4). Encontramos por diversas vezes Deus revelando seu pesar pela infidelidade dos homens em várias áreas:

  • No período Isaías, a injustiça social imperava, ocorria infidelidade no trato com a causa alheia, não havia sinceridade, nem interesse pela verdade, a vida humana era desconsiderada, e isso com vistas ao lucro pessoal (Is 1.21-23). Paulo informa que esse e outros tipos de comportamentos semelhantes, tem como origem a “concupiscência do coração, paixões infames, sentimento perverso” (Rm 1.24,26,28); sendo estes “néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia” (Rm 1.31).
  • A idolatria, heresias, modismos doutrinários etc, são expressões da infidelidade na área religiosa (Js 22.16; 1Cr 10.13; Rm 1.18-23). A palavra idolatria fala de prestar culto a um ídolo e abrange tudo aquilo que usurpa o lugar de Deus. O Senhor abomina qualquer tipo de idolatria sendo destacado que é abominável para Deus (Dt 7.25); tola e sem sentido (Sl 115.4,8). Por esse motivo é que logo no segundo mandamento, por meio de Moisés, O Senhor proíbe qualquer tipo de idolatria (Êx 20.3-5).
  • No aspecto moral a infidelidade é vista por meio da quebra dos preceitos divinos, nos quais se é visto o propósito de Deus na preservação da família, por meio da fidelidade conjugal (1Co 7.10,11,27) conservando o padrão monogâmico de casamento (1Co 7.1-3, 39; 1Tm 3.2, 11,12). A infidelidade é abominável aos olhos de Deus (Ml 2.14-16).

III – FIDELIDADE DEMONSTRADA

A fé como fruto do Espírito não é subjetiva, antes, é verificável. Há pessoas que dizem possuí-la, mas negam com suas obras (Tt 1.16). Tiago ensina que: “a fé, se não tiver as obras é morta em si mesma” (Tg 2.17). A fidelidade é de uma importância vital para a vida cristã em três aspectos, vejamos:

  • Fidelidade a Deus. Para ilustrar a importância da fé e a sua praticidade, o escritor da epístola aos Hebreus reúne na conhecida “galeria  dos  heróis  da  fé”,  exemplos  de   personagens   que   marcaram   sua   geração;   podemos   perceber essa enfase pela expressão repetidamente usada “pela fé”. destacar que essa fé não é estática, ou seja, não ficou no  campo  da  crença,  da  reflexão,  de  forma   teórica,  pois  a  expressão   “pela  fé”  sempre   é  seguida  de  verbos   (Hb 11.3,4,5,7,8,9,11,18,20,21,22,23,24,27,28,30,31,33-37,39); indicando ações que os homens e mulheres de Deus tomaram, para demostrarem sua fidelidade a Deus.
  • Fidelidade ao próximo. Como possuidores dessa virtude do fruto do Espírito, nos tornamos pessoas dignas de confiança, daí a sua importância para o relacionamento interpessoal. O crente deve inspirar confiança aos que estão à sua volta, tendo algumas atitudes, tais como: (a) mantendo sempre sua palavra (Mt 5.37;1Tm 3.8); (b) assumindo as responsabilidades no lar (Ef 5.22-28; 6.1-4; 1Tm 5.8); (c) cooperando na obra de Deus (1Co 4.1,17; 6.21); (d) sendo fiel com o que é alheio (Mt 24.45,46; Lc 16.1-12); como empregado (Ef 6.5-8; Cl 3.22-25); ou como empregador (Ef 6.9; Cl 4.1).
  • Fidelidade a si mesmo. Nesse aspecto a fidelidade é vista quando somos aquilo que dizemos ser. Davi em um de seus Salmos afirma: “Aborreço a duplicidade, porém amo a tua lei” (Sl 119.113). Quem vive uma vida dúbia, é inconstante, não há firmeza nem resistência (Tg 1.8). Deus quer que sejamos o que dizemos que somos, não mostrando duplicidade ou falsidade quanto a nossa devoção a ele (1Sm 24).

IV – FIDELIDADE RECOMPENSADA

Para os que são fiéis Cristo fez uma promessa (Ap 22.12); vejamos alguns exemplos de fidelidade e sua respectiva recompensa:

  • Moisés. Era um homem fiel, e, por isso, foi escolhido para libertar o povo de Deus do Egito (Êx 3.1-10; Hb 3.5). Em Hb 11.24-27 encontramos três atitudes que demonstram claramente sua fidelidade a Deus: (a) Ele recusou ser chamado filho da filha de Faraó, uma posição elevadíssima, para um escravo hebreu; (b) ele escolheu ser maltratado junto com o povo de Deus, mesmo podendo desfrutar de todo conforto do palácio; (c) ele deixou o Egito, não temendo a ira do rei. Somente a fé (fidelidade) poderia fazê-lo tomar tais atitudes e como recompensa foi usado nas mãos de Deus, desfrutando de intima comunhão com Ele (Nm 7,8).
  • Daniel e seus companheiros. Demonstraram sua fidelidade a Deus na corte em Babilônia em diversas ocasiões: (a) quando lhe foi determinado que ele comesse do manjar do rei, que o levaria a desobedecer a palavra de Deus, Daniel intentou no seu coração não se contaminar (Dn 1.8); (b) ao serem obrigados a se prostrar diante da estátua do rei Nabucodonosor, não se curvaram para a adorar a imagem (Dn 3.1-30); (c) diante do decreto real e sua sentença, Daniel perseverou em oração (Dn 6.10). Ele preferiu ser jogado na cova dos leões, e como recompensa foram honrados nas mais diversas áreas (Dn 1.17-21; 3.28-30; 21-28).

CONCLUSÃO

Por ocasião da Queda, o pecado afetou o relacionamento do homem com Deus, consigo mesmo e com o próximo. Mas, a partir da conversão, o Espírito Santo passa a habitar no crente e a produzir o fruto do Espírito, com suas virtudes morais e espirituais, dando-lhe condições de viver em novidade de vida e de obter o caráter e a natureza de Cristo, que é fiel e verdadeiro.

REFERÊNCIAS

  • CHAMPLIN, Norman. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia.
  • GILBERTO, Antônio. O Fruto do Espírito.CPAD.
  • GOMES, Oziel. As Obras da Carne e o Fruto do Espírito Santo.
  • STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal.
  • TYNDALE, Dicionário Bíblico. GEOGRÁFICA.
  • VINE, W.E et al. Dicionário Vine.
  • WILLMINGTON, Harold L.Guia de Willmington para a Bíblia-Vol.2. ACADÊMICO.

Fonte: http://www.adlimoeirope.com

Anúncios

Obrigado pela visita, volte sempre!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s