A Evangelização Integral nesta Última Hora

  FLAG SPAINFLAG RUSSIANFLAG USAFLAG FRANCEFLAG GREECEFLAG GERMANYFLAG KOREANFLAG JAPANFLAG ITALYFLAG ISRAELFLAG CHINAFLAG INDIA

3º TRIMESTRE 2016

O DESAFIO DA EVANGELIZAÇÃO

Obedecendo o ide do Senhor Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura

COMENTARISTA: Pr. Jose Gonçalves

LIÇÃO 13: A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA

Introdução

Quando lemos o livro de Atos dos Apóstolos, sobretudo os relatos das viagens missionárias do Apóstolo Paulo, percebemos como a Igreja Primitiva se empenhava na tarefa da evangelização. Estima-se que nas primeiras três décadas do cristianismo, o Evangelho havia alcançado pelo menos meio milhão de pessoas.

Hoje, com tantos recursos que temos, devemos aprender com aqueles irmãos que identificavam a evangelização como sendo uma tarefa fundamental delegada pelo próprio Cristo a Sua Igreja.

I- O Que é a Evangelização Integral

Primeiramente, é preciso ficar claro que o que chamaremos aqui de “evangelização integral” em nada tem haver com a “Teologia da Missão Integral” (TMI).

O termo “evangelização integral” será aplicado neste texto apenas para se referir a completude do evangelismo por parte da Igreja, ou seja, a forma com que a Igreja deve perceber a integralidade da evangelização em seu sentido único e primário, isto é, proclamar as Boas-Novas de Cristo em todo mundo.

II- Discipulado Integral

Conforme evangelizamos, também devemos nos preocupar com o discipulado. Às vezes vemos muitas igrejas fazendo um ótimo trabalho de evangelização, mas errando no discipulado. Na verdade, o discipulado deve ser entendido como uma sequencia natural e indivisível da própria evangelização.

Devemos nos lembrar de que a ordem de Jesus foi: “Portanto ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28:19). O único modo de cumprirmos essa ordem é nos atentando para o modelo bíblico do discipulado.

Sem o discipulado será impossível fazer discípulos, e o resultado final será apenas numérico, ou seja, muita gente, porém poucos verdadeiramente convertidos. Creio que a triste realidade da Igreja Evangélica Brasileira reflete claramente este problema. Recomendamos a leitura do texto “Ide e Fazei Discípulos“.

III- A Igreja da Evangelização Integral

A Igreja da evangelização integral é aquela que sabe bem o que realmente é a evangelização, e a pratica conforme os moldes bíblicos. Essa Igreja sabe que qualquer coisa que não seja a pregação sobre a obra expiatória de Cristo na cruz, por mais bem intencionado que pareça, não é evangelização. É muito comum encontramos igrejas “ativistas” ao invés de “evangelizadoras”, ou seja, as pessoas praticam ativismo achando que estão evangelizando.

Talvez essa percepção acerca da evangelização seja uma diferença notória entre a Igreja do livro de Atos dos Apóstolos e a Igreja atual. A Igreja apostólica, sempre é descrita realizando ações que objetivavam unicamente a expansão do Evangelho.

Ao lermos capítulo após capítulo do livro, a compreensão clara que temos é que o Evangelho avançava poderosamente. Sim, milagres ocorriam, demônios eram expulsos, obras sociais eram realizadas, mas, sobretudo, o Evangelho era proclamado, de modo que todas essas coisas eram consequentes da pregação desse Evangelho. Para eles, a principal motivação era que Deus fosse glorificado; o alvo era a conversão de pecadores; o objetivo a ser alcançado era a obediência à ordem de Jesus: “Ide fazei discípulos de todas as nações“.

A sensação que tenho quando leio Atos dos Apóstolos é que aquela Igreja não se conformava com os resultados obtidos. Parece que eles sempre queriam mais e mais. Eles não se contentavam apenas em evangelizar Jerusalém, mas partiam para Samaria, Antioquia, Éfeso, Corinto, Filipos, Colossos, Roma entre tantas outras cidades.

Paulo escrevendo sua Carta aos Romanos declara que havia pregado o Evangelho desde Jerusalém até Ilírico (Rm 15:14-33). Essa era uma área espantosa para os padrões da época. Essa declaração de Paulo significa que o Evangelho havia sido pregado na maior parte do Império Romano. Ele havia plantado igrejas nas quatro províncias do império: Galácia, Macedônia, Acaia e Ásia.

Diante desse ótimo resultado, ao invés de se dar por satisfeito, ele então informa que planejava um novo empreendimento missionário. Agora, ele iria pregar o Evangelho na Espanha. Hoje, grande parte dos cristãos apenas se preocupa com sua comunidade local. O objetivo é construir um mega templo, possuir a melhor estrutura de som, ter um coral tecnicamente impecável, e tantas outras coisas.

Concordo que tudo isto é importante, e devemos ter zelo pelo lugar em que nos reunimos para cultuar a Deus, porém isto não é o principal. A Igreja precisa entender a evangelização integral como a Igreja Primitiva entendia. É preciso expandir, é preciso ultrapassar as paredes da nossa congregação.

Infelizmente o foco parece que está mudando. Hoje o principal objetivo de muitos pastores é liderar uma grande congregação, numerosa em membros e com a melhor estrutura possível. O problema é que, infelizmente, está se tornando muito raro encontrar pastores que possuem como objetivo principal de seu ministério ser um plantador de igrejas.

O Apóstolo Paulo poderia ter ficado em Corinto durante todo seu ministério. Ele poderia ter transformado aquela comunidade cristã na maior congregação da Igreja Primitiva. Ele poderia ter sido o presidente, talvez fundado até uma convenção. Graças a Deus não foi isso o que ele fez. Seu maior objetivo era se deixar gastar pela pregação do Evangelho. Que possamos aprender com ele a olhar para a evangelização de forma integral e fundamental nas ações da Igreja nesse mundo.

Conclusão

Após a morte e ressurreição de Cristo e o evento do Pentecoste em Atos 2, estamos vivendo os últimos dias. Segundo o Apóstolo João, esta já é a última hora (1Jo 2:18). Estamos vivendo o cumprimento de promessas feitas ainda no Antigo testamento.

Sei que alguns argumentam que já se passaram dois mil anos que esses últimos dias foram inaugurados. De fato não sabemos se somos a geração que verá em vida a vinda de Cristo em Glória nesta terra, ou se muitas outras gerações ainda virão. O que sabemos é que devemos entender esse momento histórico como sendo os últimos momentos deste mundo, assim como a Igreja Primitiva entendeu.

Logo, a evangelização integral nesta última hora é importantíssima para a Igreja de Cristo. Devemos anunciar o Reino de Deus, devemos conclamar às pessoas que se arrependam de seus terríveis pecados pregando a necessidade da fé em Cristo Jesus. A evangelização integral é aquela que glorifica a Deus através do anuncio da salvação ao pecador.

Fonte: https://estiloadoracao.com/

Enriqueça ainda mais suas aulas com esses comentários: Clique na imagem abaixo.

Anúncios

Obrigado pela visita, volte sempre!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s