Escatologia, o estudo das últimas coisas

  FLAG SPAINFLAG RUSSIANFLAG USAFLAG FRANCEFLAG GREECEFLAG GERMANYFLAG KOREANFLAG JAPANFLAG ITALYFLAG ISRAELFLAG CHINAFLAG INDIA

1º TRIMESTRE 2016

O FINAL DE TODAS AS COISAS

Esperança e glória para os salvos

COMENTARISTA: Pr. Elinaldo Renovato

LIÇÃO 01 – ESCATOLOGIA, O ESTUDO DAS ÚLTIMAS COISAS – (Mt 24.4-5; 11-13; I Ts 1.10)

INTRODUÇÃO

A lição deste primeiro trimestre de 2016 tem como título: “O Final de Todas as Coisas – Esperança e glória para os salvos”, onde teremos a oportunidade de estudar treze lições baseadas em uma das disciplinas da Teologia Sistemática – a Escatologia. Nesta primeira lição, introduziremos o assunto trazendo importantes informações sobre a Escatologia, tais como: definição, conteúdo, propósito; importância; quais povos são contemplados com a doutrina das últimas coisas; qual o método de interpretação mais fiel as Escrituras; quais aplicações práticas que temos com a Escatologia; e, por fim, veremos um resumo dos eventos escatológicos que estaremos estudando pormenorizadamente.

 I – SOBRE A ESCATOLOGIA

1.1 Definição. Escatologia é a área da teologia sistemática que trata das últimas coisas. “O termo deriva de uma combinação das palavras gregas “eschatos”, que significa: “último; fim”, e “logos”, que significa: “palavra” (o sufixo português “logia” significa “estudo, ciência ou doutrina”). A escatologia lida com realidades extremamente pessoais, como a morte, a condição imediatamente posterior ao arrebatamento e a glorificação. Ela também aborda, contudo, questões mais cósmicas e gerais, como a segunda vinda de Cristo, o Milênio, o Juízo Final, recompensas e castigos eternos, novos céus e nova terra. A escatologia é tanto pessoal como universal, tanto individual quanto cósmica” (LAHAYE, 2010, pp. 167,168).

1.2 Conteúdo. A escatologia é essencialmente profética, ou seja, trata exclusivamente de predizer eventos futuros que já se cumpriram, estão se cumprindo ou irão se cumprir (Ap 1.19). “Cerca de vinte e cinco por cento da revelação divina têm natureza preditiva. Esse fato demonstra a importância do assunto. As teologiasmais antigas negligenciavam o assunto; mas, nos tempos modernos, à medida que os eventos se aproximam, se desperta um interesse cada vez maior sobre a questão” (CHAMPLIN, 2004, p. 437 – acréscimo nosso).

1.3 Propósito. A Escatologia tem o propósito de revelar a soberania de Deus na história e sua presciência acerca dos eventos que estão porvir. “Na esfera da profecia, a capacidade divina é claramente vista como alguma coisa que transcende as limitações humanas. Deus parece ter prazer em seu poder de predizer o futuro; ao menos, esse poder é evidentemente usado, a fim de despertar a mente humana para as maravilhas do seu Ser. A parte da revelação divina, o homem nada sabe do que vai acontecer. Para Deus, o fim é conhecido desde o princípio” (CHAFER, 2003, p. 621).

1.4 Importância. Sem sombra de dúvida a importância da Escatologia se dá pelo fato de mostrar o que acontecerá no futuro com a humanidade. O homem é por natureza curioso com o porvir, podemos observar isso estampado na pergunta dos apóstolos, feita ao Senhor Jesus Cristo: “Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?” (Mt 24.3). A mesma ansiedade também tinha os crentes de Tessalônica (I Ts 4.1-10). A Bíblia é o único livro que satisfaz plenamente os anseios do homem em todos os aspectos, até quanto ao que virá a acontecer no futuro.

II – O ALCANCE DA ESCATOLOGIA BÍBLICA

“A Escatologia Bíblica está relacionada com os três grupos de povos em que Deus mesmo divide a raça humana. Os povos da terra considerados sob o ponto de vista humano estão divididos nos mais diversos grupos étnicos, mas Deus, considerando a humanidade sob o ponto de vista divino, divide-a em três segmentos que são: Os judeus (Israel), os gentios, e a Igreja de Deus (1 Co 10.32): (a) A Igreja. Para com a Igreja, a descida do Senhor aos ares para ressuscitar os que dormem e transformar os crentes vivos é apresentada como constante expectação e esperança (1 Co 15.51,52; F1 3.20; 1 Ts 4.14-17; 1 Tm 6.14; Tt 2,13; Ap 22.20); (b) Os judeus (Israel). Para o povo escolhido, a vinda do Senhor é predicada para cumprir as profecias que dizem respeito ao seu ressurgimento nacional, a sua conversão, e estabelecimento em paz e poder sob o Pacto Davídico (Am 9.11,12; At 15.14-17); e, (c) Os gentios. A Bíblia nos mostra que para os gentios, isto é, as nações em geral, Jesus virá como o Rei dos reis e Senhor dos senhores, e Juiz, para julgá-las, e, após isso, reinar sobre elas com justiça (Sl 2.6-10; 96.13)” (GILBERTO, 2007, p. 09 – acréscimo nosso).

III – INTERPRETANDO A ESCATOLOGIA

A forma mais coerente de interpretação da Escatologia é a forma literal. O literalismo “é a interpretação bíblica que leva em conta o que, realmente, está escrito, sem quaisquer subterfúgios alegóricos. É a abordagem do texto em sua forma mais óbvia e concreta” (ANDRADE, 2006, p. 255). Esta forma de interpretação das Escrituras Sagradas são mais aceitas no meio cristão, por vários motivos, eis alguns: (a) Este sistema de interpretação é a maneira aceita em todas as línguas, povos e nações; (b) As Escrituras Sagradas só fazem sentido se interpretadas de forma literal; (c) Esta forma de interpretação respeita as parábolas, sonhos e simbologia – bem presente nos livros de Daniel, Ezequiel e principalmente, no Apocalipse; (d) No sentido literal de interpretação é possível fazer comparações com outros textos das Santas Escrituras; (e) Esta forma de interpretação considera todo o contexto e não só uma parte do texto isolado das demais; (f) O Senhor Jesus, os profetas e apóstolos, utilizaram esta forma de interpretação das Escrituras.

IV – A IMPORTÂNCIA PRÁTICA DA ESCATOLOGIA

4.1 Esperança. Nada proporciona mais consolo a alma do fiel que saber que um dia Deus “aniquilará a morte para sempre, e assim enxugará o Senhor DEUS as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do seu povo de toda a terra […]” (Is 25.8). Confira ainda (Ap 21.4). “Na natureza da fé cristã, uma firme esperança quanto à escatologia é essencial. Um cristianismo sem futuro não seria autêntico. Em contraste, entretanto, com a escatologia das religiões pagãs, que pintam um quadro sombrio do futuro, a esperança do cristianismo é límpida e brilhante, e oferece ao cristão a verdade fundamental de que, para ele, a próxima vida é melhor que a presente (Rm 12.12; 15.4; II Co 1.7; Cl 1.5; Tt 2.13)” (WALWOORD, 2002, p. 08 – acréscimo nosso).

4.2 Vigilância e santidade. A Escatologia exorta-nos a vigilância e a santificação. “O verbo vigiar significa ficar acordado, alerta, dar total atenção, para evitar que por negligência ou indolência algumas calamidades destrutivas atinjam a vida de alguém (Mt 24.42; 25.13; Ap 16.15), ou ainda para evitar que alguém negue ou abandone a Cristo (Mt 26.41) ou caia em pecado (1 Ts 5.6; 1 Co 16.13; 1 Pe 5.8; Ap 3.2)” (WYCLIFFE, 2010, p. 2018). De igual forma a santificação é condições indispensável para estarmos aptos à entrada nos céus (Mt 5.8; Mc 13.33,35; Lc 21.36; Hb 12.14; I Jo 3.2). A santificação é um ato divino, que também inclui a participação humana (Jo 17.19; Ap 22.11).

4.3 Serviço e recompensa. O NT promete que os crentes fiéis receberão galardão em reconhecimento dos seus serviços em prol do Reino de Deus. Biblicamente esse evento é denominado de Tribunal de Cristo. A certeza dessa volta iminente e da recompensa pelos nossos serviços nos impele a trabalhar com afinco e incansavelmente na obra do Senhor (Rm 14.10; I Co 15.58; II Co 5.10; Hb 6.10,11).

V – QUAIS OS TEMAS ESTUDADOS NA ESCATOLOGIA

Em que ordem às últimas coisas devem acontecer? Apresentamos abaixo uma sequencia geral acompanhada de passagens bíblicas, para que, estudando-as, tenhamos em mente todo o cenário escatológico. Seria muito útil ao estudioso dessas doutrinas, examinar com cuidado, em meditação, cada referência mencionada na relação abaixo:

EVENTOS ESCATOLÓGICOS SEGUNDO A CRONOLOGIA BÍBLICA

O Arrebatamento da Igreja

Nos ares; antes da Grande Tribulação (I Ts 4.16,17; 1.10). Esse rapto dos salvos desencadeara uma serie de eventos.

O Tribunal de Cristo

Este julgamento não tem como propósito condenar nenhum crente ao inferno, mas recompensar os que procederam de forma firme, constante e abundante na obra do Senhor (Rm 14.10).

A Grande Tribulação

Na Terra, por sete anos (Dn 9.25-27); e as Bodas do Cordeiro, no Céu (Ap 19.1-9).

A Vinda em glória de Jesus na Terra

Em poder e glória, para a batalha do Armagedom (Zc 14.1-4; Jl 3.2; Ap 16.13-16).

O fim do Império do Anticristo

Na segunda fase da segunda vinda, Cristo aniquilará o iníquo (Ap 19.19-21).

O julgamento das nações

Nesta ocasião, Cristo Jesus, julgará as nações que socorreram ou não a nação de Israel durante o período da Grande Tribulação (Jl 3.12-14; Mt 25.31-46).

O Milênio

Após a prisão de Satanás, o reinado de Cristo será implantado na terra durante mil anos literais (Ap 20.1-6).

A revolta do diabo e seu julgamento

Após o Milênio, o Inimigo será solto por pouco tempo, pois logo ele – em última instância – e suas hostes serão julgados (Ap 20.7-10; Jo 16.8-11; Rm 16.20).

O juízo final

A este julgamento serão submetidos os mortos ressuscitados, na consumação de todas as coisas (Ap 20.11-15).

Novos céus e nova terra

Nesse momento a terra será completamente restaurada de todo mal decorrente do pecado e da influência de Satanás (Ap 21-22; 2 Pe 3.7).

CONCLUSÃO

Deus, em seu infinito conhecimento, deixou-nos em Sua Palavra o registro dos acontecimentos futuros a fim de que entendamos que Ele é soberano sobre a história e que, no tempo certo, tudo convergirá para que o seu eterno propósito seja estabelecido por meio de Jesus Cristo, Seu Filho. Tal esperança nos trás consolo de que um dia o mal terá seu fim, e o bem será estabelecido para sempre. Maranata! Ora, vem Senhor Jesus!

 REFERÊNCIAS

  • ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Dicionário Teológico. CPAD.
  • GILBERTO, et al. Teologia Sistemática Pentecostal. CPAD.
  • CHAFER, Lewis Sperry. Teologia Sistemática. CPAD.
  • CHAMPLIN, R. N. Dicionário de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS.
  • LAHAYE, Tim. Enciclopédia Profecia Bíblica. CPAD.
  • WALWOORD, John F. Todas as profecias da Bíblia. VIDA.

Fonte: REDE BRASIL

Enriqueça ainda mais suas aulas com esses comentários: Clique na imagem abaixo.

DANIEL_E_APOCALIPSE_dicionarioclaudionor+capa.LEIA OU BAIXE AQUImanual de escatologiaapocalipse-versculo-por-versculoBíblia e o futuro-g

Anúncios

Obrigado pela visita, volte sempre!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s