Oração e Recomendação as mulheres Cristãs

  FLAG SPAINFLAG RUSSIANFLAG USAFLAG FRANCEFLAG GREECEFLAG GERMANYFLAG KOREANFLAG JAPANFLAG ITALYFLAG ISRAELFLAG CHINAFLAG INDIA

3º TRIMESTRE 2015

A IGREJA E SEU TESTEMUNHO

As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais

COMENTARISTA: Pr. Elinaldo Renovato de Lima 

LIÇÃO 03 ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS (I Tm 2.15; 911)

INTRODUÇÃO

No capítulo de número dois, da primeira epístola a Timóteo, encontramos duas, das muitíssimas exortações do apóstolo Paulo ao jovem ministro da igreja de Éfeso, quanto ao comportamento esperado dos crentes quando eles interagem como uma igreja. Nesta lição, estudaremos a oração como uma proposta intercessora, nos conscientizando de que devemos interceder por todos os homens para que eles alcancem o favor de Deus e, isto inclui os líderes governamentais da nossa nação; e, por fim, veremos as recomendações do apóstolo aos crente de Éfeso, aplicando-as aos nossos dias.

I ADMOESTAÇÕES PAULINAS QUANTO A ORAÇÃO INTERCESSORA

Embora Deus seja O Todo Poderoso e conheça tudo, Ele decidiu nos deixar “ajuda-lo” a mudar o curso do mundo através das nossas orações, ou seja, por meio das nossas intercessões. “O Verbo ‘orar’ do grego ‘ proseuchomai’ sempre é usado acerca da ‘oração’ feita a Deus” (VINE, 2002, p. 835 – acréscimo nosso). Já o verbo interceder, de acordo com o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, é “pedir, rogar, suplicar (por outrem); intervir (a favor de alguém ou de algo)”. No sentido bíblico do Novo Testamento é orar em favor de outros, na direção e no poder do Espírito Santo. Na intercessão, o intercessor põe-se diante de Deus no lugar da outra pessoa.

1.1. Priorizando a oração (1 Tm 2.1). Ao introduzir este capítulo, que trata da liturgia do culto público da igreja de Éfeso, o apóstolo Paulo diz: Admoesto-te, pois, antes de tudo… ( 1Tm 2.1); antes de tudo é uma linguagem figurada do grego, prõton, que aponta para dignidade ou importância, o primeiro de todos, principalmente, especialmente (Mt 6.33; Rm 3.2; 1Tm 2.1; 2Pd 1.20; 3.3)” (ALMEIDA, 2009, p. 2382). Essa expressão frisa a importância de que dentre todas as práticas que deveriam ser observadas pelos efésios no culto, esta que o apóstolo apresenta na introdução como “antes de tudo”, deveria ser tomada como primazia.

1.2. A igreja como sacerdócio real (1 Tm 2.1,2). “ A igreja de Éfeso, quando se reunia para celebrar o seu culto ao Senhor, já não dirigia orações (intercessões) a Deus em favor da salvação dos perdidos. Alguns embriagados pelos falsos ensinos dos falsos mestres judaizantes, que pregavam a salvação somente para os judeus e prosélitos do judaísmo entre os gentios, e gnósticos, que pregavam que os homens poderiam ser reabsorvidos no próprio ser de Deus, quando ele recolhesse a si mesmo todas as suas emanações, haviam perdido o propósito intercessor encontrado na prática da oração; Daí, Paulo, exorta a Timóteo, a resgatar, do seio da igreja, o seu ofício sacerdotal, o amor e a misericórdia pelas almas perdidas, o sentimento que deveria os fazer cair de joelhos e clamar em favor da Salvação do Senhor aos estes perdidos” (MACARTHUR, 2010, p. 1657 – acréscimo nosso).

1.3. A nobreza da intercessão. A Bíblia nos ensina a importância da intercessão da igreja. Vejamos: ( 1) aplaca o juízo divino (Gn 18.2332; Nm 14.1319; Jl 2.17); ( 2) restaura o povo (Ne 1; Dn 9); ( 3) livra as pessoas do perigo (At 12.5,12; Rm 15.31); (4) atrai a benção de Deus para povo (Nm 6.2426; 1Rs 18.4145; Sl 122.68); ( 5) invoca o poder do Espírito Santo sobre os crentes (At 8.1517; Ef 3.1417); ( 6) faz com que o enfermo seja curado (1Rs 17.2023; At 28.8; Tg 5.1416); ( 7) leva o pecador a receber o perdão dos pecados (Ed 9.515; Dn 9; At 7.60); ( 8) beneficia pessoas investidas de autoridade à governam bem (1Cr 29.19; 1Tm 1.1,2); (9) faz a vida cristã ser crescente (Fp 1.911; Cl 1.10,11); ( 10) guarda os pastores ( 2Tm 1.37); ( 11) protege a obra missionária ( Mt 9.38; Ef 6.19,20); e (12) invoca salvação do próximo (Rm 10.1).

II A ORAÇÃO E A VONTADE DE DEUS

O texto de 1Tm 2, apresenta o comportamento esperado dos homens e das mulheres. Devemos levar em conta o pano de fundo histórico. Lendo o versículo oitavo, Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda (1Tm 2.8), a princípio entendemos que as mulheres eram excluídas da celebrarão do culto público, pois a expressão homem apresentada no texto, em grego é aner , que significa “homem” em contraste com “mulher”. O significado primário do texto, é que os varões eram os que deveriam fazer (ler) as orações (CHAMPLIN, 2014, p. 392 acréscimo nosso); a eles competiam à participação verbal do culto, esta era a herança das sinagogas (Lc 4.1620). Já as mulheres deveriam permanecer em silêncio, pois as recentemente convertidas tinham a tendência de interromper o culto com perguntas, observações impróprias e trajes desonrosos… Paulo não estava se recusando, de maneira geral, a permitir que as mulheres participassem da oração pública” (RIBAS, 2009, p. 448). Quando o apóstolo se dirige as mulheres Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto… (1Tm 2.9), Paulo dá a entender como ponto pacífico que as mulheres também participavam da adoração pública e das orações, desde que não comprometessem a santidade. Uma melhor forma de entender este texto seria: Também desejo que as mulheres que fizerem parte das orações públicas se vestissem com modéstia… (CHAMPLIN, 2014, p. 303 acréscimo nosso).

2.1. Por quem orar? (1Tm 2.1,2). “Acertadamente e diferentes dos judaizantes e gnósticos, Paulo admoesta o ministro daquela igreja, dizendo, que todos os homens necessitam das nossas intercessões, já que todos estão ao alcance do poder da cruz. O versículo quatro frisa muito bem a comissão e missão evangelizadora da igreja de buscar ativamente a Deus em oração pela salvação de todos os homens” (CHAMPLIN, 2014, p. 383 acréscimo nosso).

2.1.1 Orando pelos líderes governamentais e autoridades constituídas. “ As orações em favor dos governantes, isto é, presidência da república, senadores, governadores, deputados federais, deputados estaduais, prefeitos e vereadores, etc. Devem visar três coisas. ( 1) A salvação deles (1Tm 2.4,5); ( 2) um bom governo, pois devemos enquanto cidadãos obedecer autoridades civis, desde que não infira o princípios da moral (Rm 13.17; At 5.29), e ( 3) que não se tornem perseguidores da fé religiosa, conforme com frequência tem sucedido. Os judeus reconhecendo a importância de um tranquilo relacionamento com os governantes seculares, para o benefício da fé e da inquirição espiritual, oravam e sacrificavam por seus governantes” (Ed 6.10; Jr 36.7) (CHAMPLIN, 2014, p. 383 acréscimo nosso).

2.2. A quem orar? (1Tm 2.5). “ Os gnósticos traziam em suas doutrinas, raízes deístas (doutrina que, apesar de admitir a existência do Supremo Ser, ensina não estar Ele interessado no curso que a história toma, ou venha a tomar), a respeito de Deus. Eles imaginavam que a matéria (os homens) é má por si mesma, e, assim sendo, Deus nunca poderia aproximar-se dela, pois, em tal caso, ficaria contaminado, bem como, a necessidade de muitos mediadores na criação. A declaração monoteísta (do grego monós , um, Theos Deus Crença na existência de um único Deus) de Paulo Porque há um só Deus um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem… (1Tm 2.5), tinha por escopo contradizer tais noções, além de asseverar a existência do Deus teísta , ou seja, o Deus que está interessado pelo homem que criara, que mantém o contato com ele, e que tanto o castiga quanto o recompensa, conforme o caso; Paulo também tinha a intensão de revelar Cristo como o único mediador . Existe apenas um Deus, existe apenas um mediador, a este Deus por meio de Cristo deve ser dirigidas as orações pela salvação de todos os homens” (CHAMPLIN, 2014, p. 388acréscimo nosso).

2.3. Os frutos da intercessão (1Tm 2.2). “ Quando Paulo escreveu esta carta, a perseguição era uma ameaça crescente para os crentes. Mais tarde, quando Nero, o imperador (aproximadamente 5468 d.C), precisou atribuir a alguém a culpa pelo grande incêndio que destruiu a maior parte de Roma em aproximadamente em 64 d.C. acusou os cristãos romanos para eliminar a suspeita em relação à sua própria pessoa. Então houve grande perseguição aos cristãos por todo o Império Romano. Aos cristãos, não somente eram negados certos privilégios na sociedade; alguns chegaram até a ser publicamente assassinados, queimados, ou lançados como alimento aos animais” (ALMEIDA, 2003, p. 1702). Paulo recomenda o jovem obreiro para que orassem pelo bem de Nero, a fim de, terem … uma vida quieta e sossegada , em toda piedade e honestidade (1Tm 2.2). Jesus já havia dito que devemos orar por nossos inimigos (Mt 5.4348). intercedamos por nossa nação, por nossos governantes, para que possamos desfrutar dos frutos da intercessão.

III RECOMENDAÇÕES PAULINAS AS MULHERES

A vontade Deus para com as mulheres cristãs é que elas fossem muito discretas quanto ao vestir. Ao que parece, o “espírito da Grécia” influenciava algumas mulheres a serem sensuais aponto de despertarem a luxúria. Ampliando as recomendações que Paulo deu a Timóteo, sob a “lupa do evangelho”, concluímos que as exigências podem ser aplicadas tanto a homens quanto a mulheres, pois quanto a salvação, todos precisam viver em santidade.

3.1. … se ataviem. “ No grego, kosmeo , que significa “pôr em ordem”, “adornar”, “decorar”, “tornar atrativo”. O termo kosmos vem do verbo Kosmos de onde vem a palavra “cosmético”. É indiscutível que o ser humano procura tornar-se atrativo, isto faz parte da natureza humana. Todavia, Paulo admoesta que os valores cristãos devem ser diferentes dos do mundo” (CHAMPLIN, 2014, p. 393 acréscimo nosso).

3.3. O verdadeiro adorno. “Paulo enfatizou que o caráter interior era muito mais importante do que a aparência exterior. O padrão de vestir, das mulheres deveria ser caracterizado por: ( 1) traje honesto (probidade, decoro, decência; castidade; pureza.); ( 2) com pudor (sentimento de vergonha, gerado pelo que pode ferir a decência, a honestidade ou a modéstia), (3) com modéstia (ausência de vaidade, simplicidade); e ( 4) com boas obras (Gl 5.22). Ampliando estas recomendações, concluímos que os crentes devem “vestir” o seu comportamento de uma maneira que complemente o seu caráter, em vez de discordar dele. Os crentes não devem ser dados à ostentação, a enfeites caros, e a adornos excessivos. Tampouco é apropriado um modo de vestir sedutor ou sexualmente sugestivo. Isso prejudica a santidade e adoração no culto. Quando Paulo diz que as mulheres de Éfeso não usassem tranças, ou ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos queria dizer que a sua ênfase deveria estar não na sua aparência, mas sim em quem elas eram” (RIBAS, 2009, p. 489 acréscimo nosso).

CONCLUSÃO

No demais, precisamos nos conscientizar de duas coisas: de que fomos chamados por Deus para levar o seu evangelho a toda criatura. Portanto homens e mulheres devem diuturnamente clamarem a Deus para as que vidas perdidas possam receber a Salvação de Jesus Cristo, como também, devemos elevar a santidade em nossas vidas.

REFERÊNCIAS

  • ALMEIDA. Bíblia de Estudo MacArthur . CPAD.
  • ALMEIDA. Bíblia de Estudo PalavrasChaves Hebraico e Grego . CPAD.
  • RIBAS, Degmar. Comentário do novo Testamento Aplicação Pessoal. CPAD.
  • CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, Vol 5. HAGNOS.
  • ANDRADE, Claudionor Corrêa. Dicionário Teológico. CPAD.

Fonte: REDE BRASIL

Enriqueça ainda mais suas aulas com esses comentários: Clique na imagem abaixo.

Anúncios

Obrigado pela visita, volte sempre!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s