Um libertador para Israel

        

livroPRIMEIRO TRIMESTRE DE 2014ensinador cristão

UMA JORNADA DE FÉ

A formação do povo de Israel e sua herança espiritual

COMENTARISTA: Pr.Antonio Gilberto

moises

LIÇÃO 02 – UM LIBERTADOR PARA ISRAEL –  (Êx 3.1-9)

INTRODUÇÃO

O capítulo três do livro do Êxodo descreve a chamada e a comissão de Moisés, o libertador de Israel. Depois de um período de, aproximadamente, quatrocentos anos de escravidão no Egito, o povo de Israel clamou ao Senhor e Ele chamou Moisés para libertar Seu povo e conduzi-los a terra de Canaã (Êx 3.6-10). Nesta lição, estudaremos a biografia de Moisés, seu chamado, suas desculpas, bem como as muitas maravilhas que Deus operou por meio dele e a libertação do povo hebreu da opressão egípcia.

I – QUEM FOI MOISÉS

Seu nome deriva-se do hebraico “mosheh” (lê-se moché) e significa “tirado das águas”. Ele nasceu em Gósen, no Egito; era filho de Anrão e Joquebede, da tribo de Levi, e tinha como irmãos Miriã e Arão (Êx 2.1-10; 6.20; Nm 26.59). Ele casou-se com Zípora, filha de Reuel, também chamado de Jetro, que era sacerdote de Midiã, e teve dois filhos: Gérson e Eliezer (Êx 2.16-22; 18.3,4). Além de libertador do povo hebreu, ele foi também legislador e mediador da aliança mosaica no Sinai (Êx 19.3-8; 20.18,19); teve a sua vida marcada por profundas experiência com Deus (Êx 14.31; 33.9; 34.29-35; Nm 12.6-8; Dt 34.10-12); e escreveu os cinco primeiros livros da Bíblia, denominados de Pentateuco: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Vejamos alguns detalhes de sua vida:

1.1  Seu nascimento e infância. Moisés nasceu durante a escravidão egípcia (Êx 1.8-14), quando o rei do Egito mandou que os meninos hebreus fossem mortos (Êx 1.15,16). Mas, temendo a Deus, as parteiras pouparam a vida das crianças, inclusive a de Moisés (Êx 1.15-22). Sua mãe o escondeu por três meses; e, depois, o deitou em um cesto e o colocou às margens do rio Nilo (Êx 1.1-4). Por providência divina, ele foi encontrado pela filha de Faraó, que mandou Miriã chamar uma hebreia para cuidar dele. Ela, então, chamou Joquebede, sua mãe, que foi assalariada para cuidar do próprio filho (Êx 2.5-10). Esses primeiros anos em que Moisés foi educado pelos próprios pais foi de fundamental importância para que ele, além de aprender a amar e confiar em Deus, conhecesse as suas origens e jamais esquecesse do seu povo (At 7.23). Depois de alguns anos, ele foi adotado pela filha de Faraó (Êx 2.10), recebeu educação nas melhores escolas egípcias e tornou-se um homem poderoso em palavras e obras (At 7.22).

 1.2  Sua fuga do Egito, casamento e ocupação. Aos quarenta anos de idade, Moisés saiu do palácio e foi visitar seus irmãos. Ao ver um egípcio maltratando um hebreu, ele o matou e o escondeu na areia (Êx 2.11,12). No outro dia, ele viu dois hebreus contendendo um com o outro, e foi tentar resolver a causa. Então, um deles perguntou: queres matar-me como mataste o egípcio? (Êx 2.13,14). Sabendo, então, que aquela causa fora descoberta, e tendo conhecimento que Faraó queria matá-lo, ele fugiu para a terra de Midiã, onde casou-se com Zípora, e passou a trabalhar cuidando das ovelhas de Jetro, seu sogro (Êx 2.16 3.1).

II – O CHAMADO DE MOISÉS

Moisés tinha oitenta anos de idade quando o Senhor lhe apareceu do meio de uma sarça que estava em chamas e o comissionou para libertar o povo hebreu da escravidão egípcia (Êx 3.1-22; At 7.22-30). Vejamos como se deu o seu chamado:

2.1  Ele apascentava as ovelhas de seu sogro (Êx 3.1). Era, sem dúvida, uma profissão muito simples para quem fôra educado nas melhores escolas egípcias (At 7.22). Mas, sua capacitação recebida na corte de Faraó era insuficiente para atender ao chamado divino. Por isso, ele foi conduzido para detrás do deserto, onde pôde aprender a liderar com mansidão e humildade o povo hebreu (Êx 2.163.1), como ocorreu posteriormente com Davi, o maior rei de Israel (I Sm 16.11,19; 17.15,20,28,34).

2.2  O Anjo do Senhor lhe apareceu em uma chama de fogo (Êx 3.2). O Anjo do Senhor é uma manifestação do próprio Deus, em forma angelical, como se deu com Abraão (Gn 22.11,15); Josué (Js 5.13-15); Gideão (Jz 6.11); Manoá (Jz 13.12-21); além de outros. O fogo da sarça simbolizava a presença e santidade purificadora de Deus (Gn 15.17; Êx 3.4,5; 19.18; Dt 4.24). Assim como a sarça ardia sem se consumir (Êx 3.3), Israel não foi consumido no fogo da aflição; pelo contrário, quanto mais eram afligidos, mais eles cresciam e se multiplicavam (Êx 1.12).

2.3  O Senhor se revelou a Moisés como o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó (Êx 3.6). Possivelmente, em sua infância, Moisés pôde ouvir de seus pais as promessas que o Senhor havia feito aos patriarcas (Gn 15.13-21; 26.2-5; 28.13-15). Ele sabia que o Egito não seria o local definitivo da morada do povo hebreu. Agora, centenas de anos depois, o Senhor lhe apareceu para cumprir a sua promessa (At 7.30-34).

 2.4  Deus não estava alheio ao sofrimento do povo hebreu (Êx 3.7-10). Embora o povo hebreu se sentisse abandonado por Deus, devido os longos anos de opressão, o Senhor demonstra claramente que estava atento ao sofrimento do seu povo, quando disse a Moisés: “Tenho visto atentamente a aflição do meu povo”; “Tenho ouvido o seu clamor”; “Conheci as suas dores”; “Desci para livrá-lo das mãos dos egípcios”; “Para fazê-lo subir a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel”.

III – AS DESCULPAS DE MOISÉS

Diante do chamado divino, Moisés sentiu-se incapaz, e apresentou a Deus algumas desculpas, como veremos a seguir:

.1  “Quem sou eu que vá a Faraó” (Êx 3.11). Moisés conhecia como ninguém o poderio egípcio, bem como o orgulho de Faraó. Além disso, ele já não se sentia capacitado para falar com o rei do maior império de sua época. Mas, diante de sua argumentação, o Senhor lhe diz: “Certamente eu serei contigo” e deu-lhe uma garantia: “Quando houveres tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte” (Êx 3.12). O Senhor queria que Moisés aprendesse a confiar nEle, como Abraão (Gn 12.1-3; Hb 11.8); Isaque (Gn 26.1-6); e Jacó (Gn 31.3).

3.2  “Em Nome de quem me apresentarei ao povo?” (Êx 3.13). Temendo que o povo hebreu questionasse a revelação divina, Moisés queria saber qual o nome do Deus que lhe aparecera. O Senhor, então, lhe diz: “Eu Sou o que Sou. Assim dirás aosfilhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós” (Êx 3.14). O significado desse nome é que Deus tem existência própria, ou seja, Ele existe por si mesmo. Este nome pode ser traduzido por: “Eu sou aquele que é” ou “Eu sou aquele que existe”. Assim, Ele estava demonstrando a Sua superioridade em relação aos demais deuses (Sl 115.1-9; 135.13-21). Encontramos também expressões semelhantes citadas por Cristo ou atribuídas a Ele (Jo 8.58; Hb 13.8; Ap 1.8);

 3.3  “Eles não crerão, nem ouvirão a minha voz” (Êx 4.1). Moisés, agora, temia a incredulidade, tanto do povo (Êx 3.13; 4.5) quanto do próprio Faraó (Êx 3.10; 4.21). Em resposta, o Senhor lhe deu três sinais miraculosos, cada um com um significado especial: (1º) A vara de Moisés tornou-se em uma serpente (Êx 4.2-5): a serpente era símbolo de poder no Egito; (2º) A mão de Moisés ficou leprosa (Êx 4.6-8): a lepra era considerada pelos hebreus como um sinal do juízo divino (Nm 12.10,11; II Cr 26.19); (3º) As águas do rio se tornaram em sangue (Êx 4.9): a água representava o rio Nilo, adorado no Egito como fonte da vida e poderio.

 3.4  “Eu não sou um homem eloquente” (Êx 4.10). Depois de passar, aproximadamente, quarenta anos cuidando de ovelhas, Moisés já não tinha um vocabulário erudito e não se sentia capaz de falar com Faraó. O Senhor, então, lhe fez entender que foi Ele quem criou tanto o mudo, como o que fala; e que Ele mesmo ensinaria o que ele havia de falar (Êx 4.11). Mas, ao persistir em sua recusa (Êx 4.13), Deus permitiu que Arão fosse seu porta-voz (Êx 4.14-17). Daí em diante, ele nunca mais esquivou-se diante do chamado divino e cumpriu fielmente a sua missão.

IV – MOISÉS LIBERTA O POVO HEBREU

Depois que o Senhor apareceu A Moisés em Midiã, sua vida foi marcada por muitos desafios, mas, também, por milagres extraordinários e grandes experiências com Deus. Vejamos:

Moisés fez milagres diante de Faraó, como Deus havia ordenado (Êx 4.21; 7.8-13);

  • Deus enviou as dez pragas sobre o Egito, através de Moisés (Êx 7.19-10.29; 12.29-36);
  • Por intermédio de Moisés, o Senhor abriu o Mar Vermelho para o povo de Israel passar; e, depois o fechou, matando Faraó e seus cavaleiros (Êx 14.15-31; Sl 136.13-15);
  • As águas de Mara tornaram-se doces; e, no deserto, Deus fez sair água da rocha (Êx 15.23-27; 17.1-7; Nm 20.7-13);
  • Quando Moisés orou, Deus mandou o maná (Êx 16.1-10) e carne (Êx 16.11-35) para alimentar seu povo;
  • Israel pelejou contra os amalequitas, e, quando Moisés estendia as mãos, Israel prevalecia (Êx 17.8-16);
  • Deus deu a Moisés as tábuas da Lei, e ele tornou-se um grande legislador (Êx 20.1-26; Dt 5.1-21).

Embora Moisés não tenha entrado na terra prometida (Dt 34.1-12), foi ele quem guiou o povo por 40 anos no deserto.

V – SEMELHANÇA ENTRE MOISÉS E CRISTO

  • Tanto Moisés como Cristo foram alvos de tentativa de morte quando eram bebês (Êx 1.16; Mt 2.13);
  • Ambos foram profetas (Dt 18.15,18; At 3.22; 7.37);
  • Tanto um como outro sofreram com povo de Deus (I Pe 2.24; Hb 11.25,26);
  • Ambos instauraram um concerto (Êx 19.3-8; 20.18,19; Hb 8.5-13);
  • Moisés libertou o povo da escravidão egípcia (At 7.35); e Cristo nos libertou da escravidão do pecado (Gl 5.1).

CONCLUSÃO

Sem dúvida, Moisés é um dos personagens mais importantes do AT. Sua história está registrada nos livros de Êxodo a Deuteronômio, e seu nome é mencionado cerca de oitocentas vezes na Bíblia. Sua vida foi marcada por muito sofrimento, mas, também, por grandes milagres e profundas experiências com Deus. Ele foi comissionado pelo próprio Deus para libertar o Seu povo do Egito, e guiou os hebreus por cerca de quarenta anos no deserto, com destino a terra prometida.

REFERÊNCIAS

  • ALMEIDA, João Ferreira de. Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. CPAD.
  • ELISSEN, Stanley. Conheça melhor o Antigo Testamento. VIDA.
  • SOARES, Esequias. Visão Panorâmica do Antigo Testamento. CPAD.
  • STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
  • GARDNER, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA.

CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS.

Fonte: Rede Brasil

Anúncios

Obrigado pela visita, volte sempre!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s